Montadoras na China enfrentam concessionárias vazias após tombo do mercado acionário

terça-feira, 11 de agosto de 2015 12:53 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A grande queda das ações na China que abateu as vendas de carros de luxo no país está se espalhando para as marcas mais populares, enquanto potenciais clientes como Zhang Jiabin contam os prejuízos de investimentos nos mercados acionários.

O executivo de 37 anos de uma companhia alimentícia perdeu aproximadamente 6,5 mil dólares quando as ações em que investiu despencaram em junho e julho, e agora não pode mais pagar por um utilitário esportivo Tiguan, da Volkswagen, que vinha estando de olho. "Eu não posso imprimir dinheiro", disse Zhang, "Eu vou esperar até (o mercado) subir."

As vendas de veículos na China caíram 7,1 por cento em julho em comparação com o mesmo mês do ano passado, enquanto muitos outros que perderam com a queda de 1 trilhão de dólares se juntam a Zhang no adiamento de compras. A queda do mês, a maior em dois anos e meio, foi a quarta seguida e marcou a sequência mais longa de retração na China, pelo menos desde a crise financeira global de 2008.

As vendas de veículos de janeiro a julho cresceram apenas 0,4 por cento, o crescimento mais lento para o período desde 2009. Marcas globais, da Ford à Nissan, estão se preparando para um período sustentado de queda na demanda por veículos e queda nos preços. Isto irá afetar negativamente os lucros, criar um estoque elevado para revendedores e estimular a já acirrada competição no país.

Administradores e executivos das maiores montadoras globais baseados na China dizem que isso deixa agora as companhias pressionando os funcionários para cumprirem metas apesar da perspectiva sombria. O pessimismo sobre a economia chinesa foi destacado nesta terça-feira, quando o país desvalorizou sua moeda, o iuan, após uma série de fracos resultados econômicos.

Na Volkswagen, marca líder de vendas na China, um administrador de uma subsidiária de vendas disse que a montadora está pressionando os funcionários a continuarem a perseguir metas de vendas para proteger sua participação no mercado, forçando aumento nos estoques de revendedores que terão uma parte de seu lucro comprometida.

Uma porta-voz da montadora alemã afirmou que concessionários financeiramente saudáveis são parte da estratégia da companhia uma vez que "apenas concessionários satisfeitos garantem consumidores satisfeitos".