Projeto que reverte desonerações deve começar a ser votado no Senado na 4ª, diz relator

terça-feira, 11 de agosto de 2015 20:14 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O projeto que reverte parte das desonerações da folha de pagamento deve ter sua votação iniciada no Senado na quarta-feira, disse o relator da proposta, o líder da bancada do PMDB na Casa, Eunício Oliveira (CE).

Eunício afirmou que aceitou o desafio de emitir um parecer sobre a matéria a partir de pedido do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

“Nós vamos limpar a pauta hoje e amanhã nós começaremos a ordem do dia já discutindo essa matéria”, disse o líder a jornalistas.

“Acabei de ser ali convocado pelo presidente Renan, que fez uma forma de apelo que eu não tinha condições de deixar que esse projeto, que é o ultimo projeto do chamado ajuste fiscal, ficasse pendente aqui no Senado da República.”

Renan anunciou na segunda-feira um conjunto de medidas para enfrentar a crise econômica em três eixos temáticos: melhoria do ambiente de negócios, equilíbrio fiscal e proteção social.

Mais cedo, nesta terça-feira, Dilma elogiou o conjunto de propostas e disse que elas coincidem com as medidas do governo, destacando que a iniciativa de Renan sinaliza “a melhor relação possível” entre o Executivo e o Legislativo.

O governo vem executando uma série de movimentos para dar mais protagonismo político ao Senado e, em troca, ter um porto seguro no Congresso Nacional. Na Câmara, o Planalto enfrenta turbulências com sua base em uma situação classificada de “inadministrável” por um líder aliado.

Originalmente editado como medida provisória, e devolvida ao Executivo por Renan, o projeto de lei reverte as desonerações da folha de mais de 50 setores da economia e ajuda o governo em seu esforço fiscal.

Aprovado pela Câmara em junho, o texto prevê que as alíquotas de contribuição previdenciária sobre a receita bruta passam de 1 para 2,5 por cento no caso da indústria e de 2 para 4,5 por cento para empresas de serviços.   Continuação...