Índices recuam em 2º dia de queda do iuan

quarta-feira, 12 de agosto de 2015 07:55 BRT
 

HONG KONG (Reuters) - As bolsas asiáticas recuaram na quarta-feira, assim como o preço das commodities, após a China permitir que o iuan se desvalorizasse consideravelmente pelo segundo dia consecutivo, forçando investidores a buscar refúgio no porto-segura em títutos de dívida governamental.

Às 7h40 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 1,8 por cento.

Nesta quarta-feira o banco central da China definiu a taxa média do iuan ainda mais baixa do que a taxa do fechamento do mercado na terça-feira, que já havia caído acentuadamente após a China desvalorizar sua moeda em quase 2 por cento em um movimento surpresa.

O banco central havia atribuído a mudança de terça-feira a uma reforma de livre mercado, mas especialistas suspeitam que isso pode ser o começo de uma desvalorização de longo prazo nas taxas do câmbio, direcionada para tornar as exportações chinesas, em dificuldade, mais competitivas.

A rápida queda no valor da moeda chinesa --por volta de 4 por cento nos últimos dois dias-- é tratada como um duro golpe ao apetite por ativos de risco no mundo todo, com ações, moedas e commodities sob pressão de vendas enquanto os gestores de capitais temem que isto possa iniciar uma guerra cambial que pode desestabilizar a economia global.

"Enbora ainda seja muito cedo para dizer se isso é o começo de uma desvalorização sustentada do iuan, outros bancos centrais podem ser forçados a seguir o movimento o que pode ser um gatilho para uma nova rodada de enfraquecimento de moedas nos países emergentes", disse Rajeev de Mello, chefe de renda fixa na Schroders em Cingapura.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,58 por cento, a 20.392 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 2,38 por cento, a 23.916 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSE perdeu 1,03 por cento, a 3.887 pontos.   Continuação...