Bovespa fecha na mínima em 5 meses por temor de aumento de tributação de empresas e bancos

quarta-feira, 12 de agosto de 2015 18:08 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou na mínima em cinco meses nesta quarta-feira, em meio a temores de aumento da tributação de empresas e bancos, o que ofuscou a decisão da Moody's de, apesar de cortar o rating soberano do Brasil, melhorar a perspectiva da nota do país para estável.

Dados econômicos da China e novo enfraquecimento do iuan contra o dólar também seguiram no radar, assim como resultados corporativos domésticos.

O Ibovespa caiu 1,39 por cento, a 48.388 pontos. O giro financeiro totalizou 17,5 bilhões de reais, inflado pelo exercício dos contratos de opções sobre o Ibovespa e operações ligadas ao vencimento do índice futuro nesta sessão.

A apreensão de agentes financeiros com a possibilidade de aumento da tributação foi reforçada pela proposta da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) de um aumento ainda maior da alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para instituições financeiras, em seu parecer sobre a Medida Provisória 675 que trata do assunto.

Em relatório à comissão mista do Congresso que avalia a MP 675, Gleise propôs a elevação da alíquota da CSLL de 15 para 23 por cento, ante 20 por cento estabelecido na MP. A senadora também sugere que o benefício fiscal de Juros sobre Capital Próprio (JCP) para empresas seja eliminado de forma gradual até 2017.

O documento estava previsto para ser apresentado nesta quarta-feira à comissão, mas, por falta de quórum, a leitura do parecer foi adiada para a quinta-feira.

A volta desse assunto à pauta deixou em segundo plano a decisão da agência de classificação de risco Moody's de rebaixar o rating soberano do Brasil para a última nota dentro da faixa considerada como grau de investimento, mas melhorar a perspectiva da nota para "estável" ante "negativa".

O ex-diretor do Banco Central Mario Mesquita, hoje à frente da área de economia do Banco Plural, disse em nota a clientes que foi uma surpresa positiva levando em conta as circunstâncias atuais, uma vez que havia rumores no mercado de um corte duplo na nota, enquanto ele esperava um corte simples, com perspectiva negativa.   Continuação...