TCU vê superfaturamento de R$673 mi em contrato de refinaria de Pernambuco

quarta-feira, 12 de agosto de 2015 19:14 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira relatório que aponta indícios de superafaturamento de 673 milhões de reais em um dos contratos de construção da Refinaria do Nordeste (Rnest), em Recife, da Petrobras.

O controverso empreendimento de refino da petroleira estatal em Pernambuco é um dos envolvidos em escândalo de fraudes de licitação investigado pela operação Lava Jato.

Agora o TCU verificará se a prática de superfaturamento ocorreu em outros contratos de construção da refinaria, também conhecida por Abreu e Lima.

"Sem dúvida, essa Corte vai poder apurar superfaturamento de valores que superam em muito os valores da Lava Jato", disse o relator do processo, ministro Benjamin Zymler, durante análise de seu relatório no plenário do TCU.

O apontamento de superfaturamento foi feito na construção da Unidade de Coqueamento Retardado (UCR) da refinaria.

"Como resultado das análises de preços, chega-se a um indício de sobrepreço total de 673 milhões de reais sobre um contrato de 3,37 bilhões de reais (originais e sem "Verba de Chuvas"), dos quais se analisou uma amostra correspondente a 1,46 bilhão de reais", relata o acórdão do tribunal sobre a decisão desta quarta-feira.

No fim do ano passado, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) apontou que a refinaria custou 4,2 bilhões de dólares a mais do que deveria.

(Reportagem de Luciana Otoni)