CPFL Renováveis prevê expansão via leilões e aquisições, diz presidente

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 12:23 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A CPFL Renováveis, braço de investimentos em energia limpa da CPFL Energia, fechou o segundo trimestre com 1,8 gigawatt (GW) em capacidade instalada, um crescimento de 20,5 por cento ante o mesmo período de 2014, em uma expansão que poderá continuar tanto pelos leilões de energia promovidos pelo governo e vendas no mercado livre, quanto por meio de aquisições.

"Mesmo nesse ambiente desafiador que o país está vivendo, o setor elétrico e o setor de infraestrutura, de maneira geral, a gente conseguiu crescer nosso portfólio. Além desse 1,8 GW em operação, estamos implantando mais 333 megawatts que vão consumir 2,3 bilhões de reais nos próximos anos", disse à Reuters o presidente da empresa, André Dorf.

Com um caixa robusto de 1,4 bilhão de reais ao final do trimestre, a empresa mantém a possibilidade de continuar crescendo por meio da compra de ativos.

"Nosso plano de crescimento tem duas rotas, o orgânico, via pipeline, via leilões, e a rota do crescimento via aquisições", disse Dorf.

Segundo o executivo, o atual momento do setor "tem motivado algumas empresas a repensar seu portfólio de ativos", o que abre espaço para bons negócios.

"Não temos nada para anunciar no curtíssimo prazo, mas estamos, sim, acompanhando e participando de algumas análises", comentou.

No caminho do crescimento orgânico, a companhia aposta em um portfólio de 3,5 gigawatts em projetos em desenvolvimento, incluindo usinas solares já cadastradas nos próximos leilões de energia.

O presidente da CPFL Renováveis, no entanto, comentou que os preços fixados para os leilões de energia já agendados para este ano são "desafiadores" devido à desvalorização do real, à inflação e ao maior custo de financiamento, puxado pela elevação nas taxas de juros.   Continuação...