Dólar sobe 1% e volta ao patamar de R$3,50, com cena externa e temores políticos

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 19:07 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou com alta de mais de 1 por cento nesta quinta-feira, voltando ao patamar de 3,50 reais, ao acompanhar o avanço da moeda norte-americana nos mercados externos e por apreensão com a cena política local.

A moeda norte-americana subiu 1,13 por cento, a 3,5137 reais na venda, maior nível desde o último dia 6, quando foi a 3,5374 reais. Na máxima do dia, chegou a 3,5295 reais.

"O fator político intensifica um movimento de alta que já vinha desde cedo. A China e o Fed são um fator constante pressionando o dólar", disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

Moedas de países emergentes também perderam terreno nesta sessão, como os pesos chileno e mexicano.

Nos mercados externos, a desvalorização do iuan continuava no centro das atenções, mesmo após os esforços do banco central chinês para trazer aos alívios aos mercados financeiros ao afirmar que não há motivo para o iuan cair mais por conta dos fortes fundamentos econômicos do país.

A percepção de que há grandes chances de o Federal Reserve, banco central norte-americano, elevar os juros já no mês que vem, como esperam economistas consultados em pesquisa da Reuters, também pesou sobre o câmbio. Juros mais altos nos EUA podem atrair para a maior economia do mundo recursos atualmente aplicados em países como o Brasil.

"O mercado está muito pressionado", afirmou o operador de uma corretora brasileira, lembrando que no mercado futuro, o dólar já estava havia chegado ao patamar de 3,55 reais neste pregão.

O impacto da questão externa foi intensificado, no Brasil, pelo quadro político conturbado. No fim da manhã, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a analisar o agravo proposto pelo PSDB pela continuidade de uma ação que pede a cassação da presidente Dilma Rousseff por suposto abuso de poder na campanha eleitoral do ano passado.

A análise do agravo foi suspensa quando o placar marcava 2 votos a 1 pela continuidade do processo. Ainda não há data para a continuidade do julgamento.   Continuação...

 
Funcionário conta notas de dólar norte-americano em banco de Hanói, no Vietnã, nesta semana. 12/08/2015 REUTERS/Kham