Sabesp tem alta de 11,5% no lucro do 2º trimestre

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 20:33 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A companhia de água e saneamento do Estado de São Paulo, Sabesp, teve alta de 11,5 por cento no lucro líquido do segundo trimestre na comparação anual, em um desempenho apoiado por salto em receitas de construção e queda de custos e despesas.

A empresa, que há mais de um ano vem concedendo descontos na tarifa de água de consumidores que economizam água enquanto faz obras para tentar minimizar a crise hídrica que atinge o Estado, teve lucro líquido de 337,3 milhões de reais no segundo trimestre.

O índice de perda de água caiu 23,6 por cento no segundo trimestre sobre o mesmo período do ano passado, afirmou a companhia no balanço.

Segundo a Sabesp, a redução é resultado não só das ações de controle de perdas, mas também da crise hídrica e da consequente necessidade de diminuição das pressões na rede.

Enquanto a receita operacional bruta da empresa caiu 7,9 por cento sobre o segundo trimestre do ano passado, a 2,05 bilhões de reais, o faturamento com construção avançou 33 por cento, para cerca de 905 milhões de reais. Já os custos e despesas caíram 11,2 por cento no mesma comparação, a 1,46 bilhão de reais.

A queda na receita operacional bruta veio com um recuo de 8,3 por cento no volume faturado de água e de 6,3 por cento no de esgoto. As maiores quedas ocorreram no segmento público (-19,1 por cento) e no segmento industrial (-14,9 por cento), enquanto a classe residencial teve baixa de 6 por cento no volume faturado no segundo trimestre sobre um ano antes.

A Sabesp ainda contou com um resultado financeiro positivo no trimestre em 155,4 milhões de reais, ante 21,6 milhões negativos no mesmo período do ano passado.

A empresa teve uma geração de caixa medida pelo lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 756,6 milhões de reais, avanço de 14,3 por cento na mesma base de comparação.

A companhia investiu no segundo trimestre 969,6 milhões de reais, totalizando 1,5 bilhão no primeiro semestre deste ano.

(Por Alberto Alerigi Jr.)