Dólar cai 0,87% e volta abaixo de R$3,50 por alívio no exterior e na política local

sexta-feira, 14 de agosto de 2015 17:14 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu quase 1 por cento nesta sexta-feira, voltando a abaixo de 3,50 reais, refletindo o alívio no mercado externo após o iuan interromper série de três dias consecutivos de depreciação, e com a percepção de menor risco político local.

A moeda norte-americana BRBY caiu 0,87 por cento, a 3,4831 reais na venda. Na semana, o dólar acumulou queda de 0,71 por cento.

"Todas as notícias hoje colaboraram para um quadro mais tranquilo", disse o diretor de câmbio da corretora Pioneer, João Medeiros, acrescentando que se o cenário político continuar melhorando, a tendência de médio prazo é que a pressão sobre o câmbio diminua.

"Se o quadro político realmente se confirmar mais tranquilo, acho que podemos voltar a uma cotação mais próxima de 3,20 reais, mas isso não é imediato, ainda levaria algum tempo", disse.

Os investidores enxergaram chances menores de a presidente Dilma Rousseff não terminar seu mandato após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso decidir que as contas do governo devem ser analisadas em sessão conjunta do Congresso Nacional, e não separadamente pela Câmara dos Deputados ou Senado.

Com a decisão, perdeu força a articulação do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para apreciar as contas da presidente de 2014, sob análise no Tribunal de Contas da União (TCU).

"O mercado teve um surto, mas está voltando à realidade. Não dá para trabalhar com um cenário de impeachment como cenário-base", disse o tesoureiro-chefe de um banco nacional.

No cenário externo, o dia também foi mais calmo. O iuan chinês fechou esta sexta-feira praticamente estável, com operadores afirmando que uma combinação de mensagens tranquilizadoras de reguladores e ordens de compra de bancos estatais limitaram os movimentos do mercado. A queda da moeda chinesa nas três sessões anteriores vinha prejudicado o apetite por ativos de mercados emergentes.

No fim do dia, os ministros das Finanças da zona do euro concordaram com o terceiro programa de resgate para a Grécia, no valor de até 86 bilhões de euros em três anos.   Continuação...