Totvs diz que prêmio a ser pago por Bematech é "justo"

segunda-feira, 17 de agosto de 2015 13:19 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Totvs acredita que o prêmio oferecido aos acionistas da Bematech para a compra da empresa é justo e que o valor das ações da companhia ainda não reflete o potencial crescimento que será obtido com a oferta conjunta dos produtos de ambas as empresas.

A Totvs anunciou no final da sexta-feria acordo para comprar a Bematech em uma transação em dinheiro e ações que embutiu ágio de cerca de 60 por cento sobre o valor dos papéis da Bematech na bolsa no encerramento da semana.

Porém, investidores da Bematech que participaram da teleconferência para analistas realizada nesta segunda-feira criticaram o momento em que a transação foi anunciada, que coincidiu com o mesmo dia em que o Ibovespa atingiu o menor patamar desde 30 de janeiro e após a agência de classificação de risco Moody's ter cortado a nota do Brasil para "BAA3".

O presidente da Totvs, Rodrigo Kede, afirmou que se a compra da Bematech tivesse sido anunciada há seis meses, "talvez a discussão seria outro preço", mas que o preço das ações da companhia "não reflete o que a empresa é e o seu potencial. O prêmio foi significativo, é um prêmio justo", afirmou o executivo.

O valor das ações da Bematech atribuído na aquisição foi de 11 reais, próximo do patamar registrado em março deste ano.

As ações da Bematech abriram em alta de cerca de 50 por cento nesta segunda-feira, não atingindo o ágio implícito na operação e no início da tarde devolviam parte dos ganhos, exibindo alta de 41,3 por cento às 12h51, cotadas a 9,40 reais. Enquanto isso, as ações da Totvs ampliavam alta de mais cedo para mais de 3 por cento.

Analistas do Credit Suisse avaliaram a aquisição como neutra para a Totvs e ponderaram que o "preço pago ... é maior do que qualquer outra transação que a Totvs já fez, mas não é transformacional".

Segundo Kede, Totvs e Bematech ainda não calcularam potenciais sinergias que serão obtidas com a união das empresas, mas ele afirmou que o grupo combinado terá produtos mais fortes para uma eventual expansão internacional.

O executivo comentou ainda que empresas de meios de pagamento e de cartões terão "interesse natural" em estabelecer parcerias comerciais com a companhia após a aquisição da Bematech, que reforçou a presença da produtora de software corporativo no varejo.

(Por Alberto Alerigi Jr.)