Bovespa quebra série de perdas e sobe 0,5% com menor risco de fim de benefício fiscal

terça-feira, 18 de agosto de 2015 18:07 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em alta nesta terça-feira, quebrando uma série de cinco pregões de perdas, após a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) desistir de propor o fim do benefício fiscal do mecanismo de juros sobre capital próprio em relatório sobre medida provisória que trata da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

O Ibovespa subiu 0,49 por cento, a 47.451 pontos. Na máxima, contudo, o índice chegou a subir 1,8 por cento, após ter recuado 1,15 por cento na mínima, pela manhã. O giro financeiro totalizou 6,9 bilhões de reais.

Nas cinco sessões anteriores, a queda acumulada superou 4 por cento.

A proposta de retirar em etapas o JCP estava no relatório da senadora sobre Medida Provisória 675, que trata do aumento da CSLL de instituições financeiras e começou a ser analisado em comissão mista do Congresso Nacional nesta terça-feira.

A alteração do relatório de Gleisi reverteu o viés negativo no pregão no início da tarde, impulsionando principalmente ações de empresas que pagam elevados dividendos, muitas vezes sob a forma de JCP e estariam entre as mais prejudicadas.

Análise recente o BTG Pactual, considerando o universo de 39 empresas sob sua cobertura, estimou declínio médio de 8 por cento dos lucros e de 8,7 por cento dos preços-alvos em 2018, ano previsto para o fim do JCP na proposta inicial da senadora.

A desaceleração dos ganhos no final do pregão, contudo, sugerem que incertezas persistem no mercado, particularmente após a senadora afirmar que o Ministério da Fazenda estuda proposta para a retirada do benefício e que ela apresentará no Senado um projeto de lei de sua autoria para eliminar o JCP.

O quadro externo desfavorável também limitou uma reação mais forte na Bovespa, com o índice acionário norte-americano S&P 500 caindo 0,26 por cento, pressionado por resultados corporativos e o recuo de ações de energia, além de preocupações renovadas com a China.   Continuação...