Meta baixa de primário coloca pressão sobre o rating brasileiro, diz diretor da Fitch

sexta-feira, 21 de agosto de 2015 10:12 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O diretor-geral da agência de classificação de risco Fitch no Brasil, Rafael Guedes, afirmou nesta sexta-feira que a meta de superávit primário equivalente a 0,15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano coloca mais pressão sobre o rating brasileiro.

Em evento no Rio de Janeiro, ele afirmou que é muito difícil fazer consolidação fiscal num momento de recessão e que redução da dívida no Brasil só deve ocorrer a partir de 2018. Segundo ele, a dinâmica da dívida brasileira é "bem mais preocupante".

A Fitch classifica o Brasil como "BBB", dois degraus acima do grau de investimento, mas com perspectiva negativa.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)