Ações chinesas têm queda brutal e devolvem ganhos do ano

segunda-feira, 24 de agosto de 2015 07:15 BRT
 

Por Pete Sweeney e Samuel Shen

XANGAI (Reuters) - A bolsa de valores da China despencou mais de 8 por cento nesta segunda-feira, a maior queda diária desde o auge da crise financeira global em 2007, refletindo a frustração de investidores após Pequim não anunciar novos estímulos no fim de semana mesmo depois do recuo de 11 por cento da semana passada.

A baixa desta segunda-feira, que derrubou os principais índices acionários abaixo de níveis técnicos importantes, anulou o pouco que restava dos ganhos que o mercado vinha acumulando no acumulado do ano, que chegaram a ser expressivos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, despencou 8,75 por cento, para 3.275 pontos. O índice de Xangai caiu 8,5 por cento, para 3.210 pontos, voltando aos patamares vistos pela última vez no início de 2015.

A bolsa em Hong Kong caiu pelo sétimo dia consecutivo, recuando 5,2 por cento para 21.251 pontos. Segundo analistas, o movimento foi causado pelo desempenho onshore fraco e porque investidores venderam ativos denominados em iuanes após a inesperada desvalorização da moeda chinesa em agosto.

Todos contratos futuros dos índices na China recuaram 10 por cento, limite diário, refletindo a queda dos preços das ações e apontando que ainda há dias ruins por vir.