Lockhart, do Fed, vê aumento de juros em 2015, mas ler inflação está difícil

segunda-feira, 24 de agosto de 2015 20:37 BRT
 

Por Ann Saphir

BERKELEY, Califórnia (Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Atlanta, Dennis Lockhart, parece ter enfraquecido a ideia de uma alta de juros no próximo mês, dizendo nesta segunda-feira apenas que o banco central dos Estados Unidos provavelmente vai começar a elevar juros "em algum momento deste ano".

Apenas duas semanas atrás, Lockhart disse a jornalistas que estava "muito disposto" a elevar juros em setembro.

Em comentários feitos nesta segunda-feira, Lockhart afirmou que a queda acentuada nos preços do petróleo ofusca as perspectivas para a inflação, mesmo que o Fed tenha sinalizado que precisa de confiança razoável de que a inflação está voltando à meta de 2 por cento antes de elevar os juros.

"Vai ser muito difícil de agora até o fim do ano ler as tendências de inflação implícita por causa dos fatores complicados da queda nos preços do petróleo por meio dos preços da gasolina, baixa nos preços das commodities sobre uma base global repassando para outros bens, pelo menos nos números de núcleo da inflação", disse Lockhart.

Em meio ao mercado acionário dos EUA em queda e receios sobre a desaceleração da China, alguns economistas mudaram suas expectativas para um aumento de juros até o fim do ano ou mesmo no começo de 2016.

"No momento, desdobramentos como a apreciação do dólar, a desvalorização da moeda chinesa e mais quedas nos preços do petróleo são fatores complicadores para prever o ritmo de alta", disse Lockhart.

Apesar disso, ele reiterou sua própria projeção de crescimento econômico moderado, contínuos ganhos no emprego e alta gradual da inflação.

"Eu espero que a normalização da política monetária --ou seja, taxa de juros-- comece em algum momento deste ano".

A elevação dos juros será gradual, ele disse, significando "algo diferente" de subir os juros em 0,25 ponto percentual a cada reunião.