Aperto de crédito afeta setor de fertilizantes às vésperas do plantio da safra de grãos

terça-feira, 25 de agosto de 2015 17:47 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - A poucas semanas do início do plantio de uma safra de grãos que pode ser recorde no Brasil, empresas do setor de fertilizantes ainda sentem restrição nas vendas devido ao cenário de crédito mais apertado para os produtores rurais, em meio a preços mais baixos das commodities agrícolas nos mercados globais.

Executivos reunidos em um congresso realizado pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) destacaram nesta terça-feira que as liberações de crédito --fundamentais para o fechamento de encomendas de fertilizantes-- ainda não ocorrem em níveis satisfatórios.

"O que está preocupando um pouco é o ritmo de liberação do custeio agrícola. Está um pouco atrasado, mas temos uma expectativa de avançar mais rápido nos próximos dias", disse à Reuters o diretor-presidente da Fertilizantes Heringer, Dalton Carlos Heringer.

As entregas de fertilizantes nos primeiros sete meses do ano ficaram quase 8 por cento abaixo do volume de 2014, segundo os dados mais recentes divulgados pela Anda, com uma menor antecipação nas compras em 2015 ante o mesmo período do ano passado.

Com essa menor antecipação e o cenário econômico mais complicado, o executivo da Fertilizantes Heringer projeta uma redução de 3 a 4 por cento no volume de vendas do setor em 2015 no país.

Segundo ele, os atrasos iniciais dos negócios não serão recuperados.

O plantio de soja (principal produto agrícola do Brasil) em Estados líderes de produção, como Mato Grosso, Paraná e Mato Grosso do Sul, começa oficialmente em 15 de setembro, com o fim do período oficial de restrições conhecido como vazio sanitário.

  Continuação...