Vendedores de café do Brasil recuam por volatidade de moeda e preços

quinta-feira, 27 de agosto de 2015 20:13 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Grandes oscilações da moeda brasileira e dos preços dos contratos futuros do café derrubaram o interesse dos produtores locais em vender esta semana, com todos olhos voltados para a florada da nova safra, disseram operadores nesta quinta-feira.

Os Estados brasileiros do Sudeste, afetados pela seca, onde uma parte relevante da safra global de café e de cana-de-açúcar é colhida, viram chuvas de primavera mais fortes que o normal esta semana, com mais precipitações a caminho, segundo meteorologistas.

Os preços do café em reais caíram ao longo da semana após a moeda enfraquecer fortemente frente o dólar.

Os preços internos saltaram para 450/470 reais por saca de 60 kg na segunda-feira, mas retrocederam para 420/440 reais nesta quinta-feira para os arábicas bebida dura, de acordo com a corretora Escritório Carvalhaes.

Os descontos para exportação no porto de Santos ficaram em 5 centavos de dólar por libra-peso nesta quinta, ante o contrato setembro do arábica na bolsa ICE. Na véspera, houve oferta de prêmio de 2 centavos, segundo o Cepea.

O Cepea disse que vendedores estavam hesitantes em fechar negócios com a moeda e os preços das commodities oscilando violentamente durante a semana.

"Todos os olhos estão na florada agora, com a atual safra encerrando a colheita", disse John Wolthers, corretor baseado em Santos, da exportadora Comexim.

O tempo úmido suspendeu as semanas finais da colheita de 2015/16 nos Estados de São Paulo e do Paraná.

A chuva ainda deverá chegar a Minas Gerais, principal Estado produtor de café, com exceção de áreas isoladas.   Continuação...