Conselho da Usiminas aprova captação de até US$150 mi, mas segue em discórdia

sexta-feira, 28 de agosto de 2015 11:53 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho de Administração da Usiminas aprovou a captação de até 150 milhões de dólares com um sindicato de bancos liderado por Deutsche Bank e ABN-Amro, informou a companhia em ata de reunião de publica nesta sexta-feira, que contou com voto contrário do presidente do grupo.

Segundo o documento enviado ao mercado, com vários trechos censurados, o presidente do Conselho da Usiminas, Marcelo Gasparino, votou contrariamente à captação, afirmando que a operação "não resolverá o problema de caixa de 2016, quiçá o de 2015".

A Usiminas terminou o primeiro semestre com prejuízo líquido de 1 bilhão de reais e uma relação de dívida líquida sobre lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 3,7 vezes, o que obrigou a empresa a pedir consentimento de credores para descumprir métricas de endividamento (covenants) no período.

A ata da reunião realizada na quinta-feira também mostra que a administração da companhia segue mergulhada em uma briga entre seus sócios, quase um ano depois de o presidente-executivo da empresa Julián Eguren ter sido demitido em meio a trocas de acusações entre os grupos Ternium/Techint e Nippon Steel.

No encontro de quinta-feira houve briga na escolha do secretário da reunião. O documento informa que Gasparino indicou seu advogado, Rodrigo de Mesquita Pereira, para secretariar o a reunião do Conselho, apesar da presença do secretário geral da companhia, Bruno Lage de Araújo Paulino, eleito em 29 de julho deste ano para o cargo.

Gasparino assumiu a presidência do Conselho da Usiminas após eleição ocorrida em abril deste ano em que nenhum dos dois acionistas controladores da empresa conseguiu impor um candidato.

Conselheiros indicados pela Ternium incluindo Oscar Montero Martinez, que assumiu vaga deixada no Conselho da Usiminas por Daniel Agustín Novegil, presidente do grupo latino-americnao, protestaram contra a indicação de Pereira para secretariar a reunião.

Além disso, os conselheiros da Nippon também manifestaram contrariedade com a indicação do nome de Pereira por Gasparino e também sobre o entendimento do presidente do Conselho sobre a nomeação do suplente de Martinez, de que ele foi aprovado por unanimidade.

(Por Alberto Alerigi Jr.)