Esquerdistas gregos dizem ser a favor de pacote de resgate, mas com medidas de alívio

domingo, 30 de agosto de 2015 14:22 BRT
 

ATHENAS (Reuters) - O partido esquerdista Syriza, do ex-primeiro-ministro grego Alexis Tsipras, prometeu desafiar os credores da Grécia nos assuntos ainda pendentes a respeito do pacote de resgate do país, mas concordaram com a implementação de reformas impopulares, declarou neste domingo.

Como as pesquisas de opiniões mostraram que a liderança do Syriza caiu, o programa de campanha do partido vem refletindo algum mal estar a respeito dos 86 bilhões de euros (ou 96 bilhões de dólares) do pacote de resgate grego que terá de encaminhar caso seja reeleito. O Syriza promete desafiar os credores em algumas áreas ainda abertas para discussão em caso de nova vitória no pleito.

Tsipras renunciou ao cargo neste mês para abrir espaço para eleições antecipadas, buscando mais força para implementar o pacote de resgate da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), e livrar seu partido dos rebeldes anti-resgate. O Syriza permanece profundamente dividido a respeito da decisão de Tsipras de aceitar o pacote.

"O governo do Syriza vai implementar estes acordos comprometidos, mas está determinado a achar medidas que irão compensar e minimizar o impacto negativo e negociar de forma dura os trechos do arcodo que permanecem em aberto", afirmou o plano do partido.

A legenda reitera as promessas de combater a corrupção e a evasão fiscal e reformar o estado, promessas que fizeram o Syriza chegar ao poder em janeiro. Seus militantes criticaram a não evolução nesses aspectos, culpando por isso as negociações meticulosas com a União Europeia e o FMI.

O partido, que assinou o pacote de resgate neste mês para evitar a dívida e o risco de saída da Grécia da zona do euro, prometeu colocar em pauta o que chama de "zona cinza", que são reformas trabalhistas e pensionistas e privatizações, procurando conquistar a vitória em cima de um grande número de eleitores indecisos, além de acalmar membros descontentes com os rumos da legenda.

As pesquisas de opinião mostram que o Syriza deve vencer as eleições de 20 de setembro.

(Por Renee Maltezou))

((Tradução Redação Brasília 55 11 34267000)

REUTERS LO