Citi pretende impulsionar unidade de ações em meio a agitação no setor

segunda-feira, 31 de agosto de 2015 08:58 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - O Citigroup planeja reconstruir sua negligenciada franquia de ações, buscando se beneficiar de uma retração de rivais face a novas regras projetadas para tornar o sistema financeiro menos arriscado, segundo pessoas familiarizadas com os planos do banco.

A falta de investimento em ações e um foco tradicional em bônus manteve o terceiro maior banco norte-americano em ativos nos escalões mais baixos dos rankings de negociações de ações, que mede quanta receita os bancos de Wall Street obtêm com suas unidades de negociação no mercado de ações.

Será difícil desbancar líderes como Goldman Sachs, Morgan Stanley, e JPMorgan Chase & Co, que dominam o negócio há tempos.

Mas tendo fortalecido seu negócio e níveis de capital desde a crise financeira, principalmente ao desmembrar negócios não essenciais, o Citi agora pretende lucrar com a recuada dos rivais que foram lentos em se adaptar a novas regras que forçam bancos a manter mais capital, disseram duas pessoas com conhecimento direto dos planos do Citi à Reuters.

Deutsche Bank, Credit Suisse, Barclays e outros estão realinhando seus negócios de bancos de investimento. Unidades de corretagem prime, que fornecem empréstimos e outros serviços a fundos de hedge, estão sendo reduzidas em favor de negócios de uso menos intensivo de capital como gestão de fortunas.

O Citi, enquanto isso, pretende cortejar fundos de hedge mais ativamente como parte de um plano de quatro pontos para melhorar sua participação de mercado com ações, disseram as fontes. A estratégia inclui uma modernização da tecnologia de trading do Citi, contratação de executivos estratégicos, expansão da área de análise e aumentar o financiamento da unidade.

(Por John McCrank e Olivia Oran)