Mídia chinesa informa que houve confissões em investigação sobre queda de ações

segunda-feira, 31 de agosto de 2015 09:54 BRT
 

XANGAI (Reuters) - A mídia estatal chinesa informou que houve uma série de confissões nesta segunda-feira nas investigações sobre as recentes oscilações do mercado acionário, incluindo sobre um repórter detido que admitiu ter espalhado notícias falsas que causaram "pânico e desordem".

Uma autoridade do regulador dos mercados da China confessou o uso de informações privilegiada enquanto quatro altos executivos da maior corretora da China, a CITIC Securities, também confessaram uso de informações privilegiadas, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

A China está tentando impulsionar seus mercados acionários, que despencaram 40 por cento desde meados de junho com preocupações sobre a desaceleração econômica do país e com uma inesperada desvalorização do iuan em agosto.

Entre as medidas tomadas, as autoridades reprimiram a fabricação de informações de negociações, vendas a descoberto alegadamente maliciosas e outras estratégias que dificultam uma recuperação.

A Xinhua disse que Wang Xiaolu, repórter da respeitada revista de negócios Caijing, confessou ter escrito sobre o mercado acionário chinês "baseando-se em boatos e em suas próprias suposições subjetivas", que "infligiram enormes perdas para o país e investidores."

A Xinhua não disse se Wang escreveu mais de uma reportagem ou detalhou o que reportou. A Caijing não pôde ser contatada no momento.

(Por Engen Tham)