Instalações de energia solar em telhados entram no radar do governo e do BNDES

segunda-feira, 31 de agosto de 2015 15:45 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado para implantação de placas solares em telhados começa a chamar a atenção do governo brasileiro, com planos do Ministério de Minas e Energia de incentivar essa modalidade e estudos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre como financiar instalações do tipo, que ganham cada vez mais espaço na Europa e nos Estados Unidos.

"Vemos, e isso é muito certo, um crescimento muito, muito grande da geração distribuída solar... a partir de quando tiver um mecanismo de financiamento disso para o consumidor, esse vai ser um mercado que vai explodir no Brasil, não tenho dúvida nenhuma", disse nesta segunda-feira o presidente da estatal Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim, durante evento em São Paulo.

No mesmo seminário, a superintendente de infraestrutura do BNDES, Nelson Siffert, confirmou que o banco estuda oferecer apoio a esse segmento por meio do Cartão BNDES, pelo qual micro, pequenas e médias empresas têm acesso a crédito pré-aprovado do banco no valor de até 1 milhão de reais, com taxa de juros pré-fixada e parcelamento em até 48 meses.

"Imaginamos em breve colocar entre os itens financiáveis pelo Cartão BNDES o painel fotovoltaico. O que imaginamos no banco é que à medida em que essa indústria se desenvolver, você pode colocar produtos automáticos, que permitam ao pequeno comerciante, à pequena indústria, investir na geração fovotoltaica", disse Siffert a jornalistas.

Segundo o executivo, os equipamentos financiados pelo cartão precisarão cumprir com o índice de nacionalização exigido pelo BNDES, que prevê o aumento gradual do conteúdo local nos módulos solares.

"Você vai ter que desenvolver no Brasil uma indústria de prestadores de serviços que façam essa montagem utilizando painéis credenciados pelo Finame (lista de itens financiáveis pelo BNDES)... o investimento necessário para se tornar um fabricante de painel solar não é muito alto", destacou Siffert.

EMPRESAS DE OLHO NA NOVIDADE   Continuação...