Bovespa cai 2,5% por China e perspectivas fiscais; Petrobras despenca com petróleo

terça-feira, 1 de setembro de 2015 18:09 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em queda pelo terceiro pregão seguido nesta terça-feira, em meio a novos sinais negativos sobre crescimento econômico na China, enquanto permanecem as apreensões com o quadro macroeconômico e a deterioração fiscal no Brasil.

O Ibovespa caiu 2,46 por cento, a 45.477 pontos.

O giro financeiro totalizou 6,75 bilhões de reais.

A queda acumula do índice de referência do mercado acionário brasileiro nas três últimas sessões chega a 4,69 por cento, e o horizonte no curto prazo não sugere alívio.

O tom defensivo permanece nas estratégias de gestores para o mercado acionário brasileiro em setembro, diante da deterioração do cenário econômico doméstico e de sinais de maior desaquecimento na China.

Nesta terça-feira, repercutiu negativamente dados mostrando que atividade do setor industrial chinês encolheu à taxa mais forte em ao menos três anos em agosto e que o setor de serviços do gigante asiático mostrou sinais de esfriamento.

Em Wall Street, o S&P 500 caiu 2,96 por cento.

No campo doméstico, o mercado, de modo geral, entendeu que o governo brasileiro "jogou a toalha" no que diz respeito a um ajuste relevante das contas públicas, ao anunciar na véspera proposta orçamentária para 2016 prevendo déficit primário inédito.   Continuação...