Turbulência volta a Wall St após novos dados fracos da China

terça-feira, 1 de setembro de 2015 18:30 BRT
 

Por Noel Randewich

(Reuters) - A turbulência voltou ao mercado acionário dos Estados Unidos nesta terça-feira, após um breve interregno, com a renovação das preocupações sobre a economia da China levando os principais índices acionários norte-americanos a recuarem quase 3 por cento e intensificando receios de uma queda prolongada.

O índice Dow Jones caiu 2,84 por cento, a 16.058 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 2,96 por cento, a 1.913 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 2,94 por cento, a 4.636 pontos.

O S&P 500 está 10 por cento abaixo da máxima histórica alcançada em maio, com a perspectiva de desaceleração do crescimento global e uma iminente alta de juros nos EUA cerceando uma forte tendência positiva que levou o índice a subir mais de 200 por cento desde a crise financeiras em 2009.

A queda registrada pelo S&P 500 na terça-feira foi a pior desde 24 de agosto, quando o índice recuou 3,94 por cento.

"O fato de termos caído em agosto em uma magnitude maior do que tínhamos visto em muitos anos acionou alguns alarmes", disse o diretor-gerente da Beam Capital Management LLC, Mohannad Aama. "A manutenção da incerteza sobre a China está definitivamente aumentando as preocupações".

O setor industrial da China encolheu no ritmo mais forte em três anos em agosto. Outro dado mostrou que o crescimento nas fábricas dos EUA desacelerou no mês passado para o ritmo mais fraco em mais de dois anos.

Acrescentando ao nervosismo, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse que o crescimento econômico global provavelmente será mais fraco do que o previsto há poucos meses.

Os dados fracos levaram os preços do petróleo a caírem mais de 7 por cento, interrompendo série de três sessões de ganhos, e também contribuíram para a redução das expectativas de alguns investidores de que o Federal Reserve, banco central dos EUA, eleve a taxa de juros este mês.   Continuação...