Em acareação da CPI, Duque diz que empresário delator da Lava Jato mente

quarta-feira, 2 de setembro de 2015 11:51 BRT
 

(Reuters) - O ex-diretor de Serviços da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) Renato Duque, que está preso no Paraná no âmbito da operação Lava Jato, afirmou nesta quarta-feira que o empresário Augusto Mendonça, um dos delatores do esquema de corrupção na estatal, mentiu ao acusá-lo de envolvimento no caso de desvio de dinheiro.

Duque fez a acusação durante acareação promovida pela CPI da Petrobras em Curitiba entre Duque, Mendonça e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Duque e Vaccari não responderam a várias perguntas dos parlamentares, alegando orientação de seus advogados. O ex-diretor da estatal, no entanto, reiterou diversas vezes que Mendonça mentiu ao citá-lo como envolvido.

Questionado por deputados se mantinha as acusações contra Duque após ter sido chamado de mentiroso, Mendonça, ex-executivo da Toyo Setal e presidente da Setal Engenharia, afirmou que mantinha todas as suas afirmações.

Em depoimento à CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados em abril, Mendonça disse ter feito doações a diversos partidos, como o PSDB e o PR, mas foi específico ao afirmar que contribuições ao PT foram feitas a partir de pedido de Duque, diretor de Serviços da Petrobras à época.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

 
Ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, preso no Paraná no âmbito da operação Lava Jato, durante sessão da CPI, em Brasília.    19/03/2015   REUTERS/Ueslei Marcelino