Governo descarta saída de Levy, que volta atrás e irá a reunião do G20

quinta-feira, 3 de setembro de 2015 20:01 BRT
 

Por Lisandra Paraguassu e Luciana Otoni

BRASÍLIA (Reuters) - O governo fez nesta quinta-feira um esforço concentrado para demonstrar que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ainda está na condução da economia brasileira, apesar de intensas especulações de perda de espaço e de que deixaria o cargo, após inicialmente cancelar viagem à Turquia para reunião do G20.

“O ministro Levy fica no governo. É um ministro forte. As diretrizes da macroeconomia são do ministro Levy. As diretrizes são de um governo que busca autoridade, equilíbrio fiscal e persegue superávit (primário)”, disse à Reuters o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva.

Levy, que chegou mais cedo a cancelar sua viagem para a reunião do G20 na Turquia, voltou atrás após participar de reunião da Junta Orçamentária no Palácio do Planalto.

A convocação de Levy para a reunião liderada pela presidente Dilma Rousseff foi outro gesto para mostrar que o titular da Fazenda continua forte. O encontro estava previsto apenas com

os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Nelson Barbosa (Planejamento).

Em entrevista após a reunião da Junta Orçamentária, Mercadante enfatizou ser "evidente" que Levy fica.

"Ele tem compromisso com o Brasil, tem compromisso com esse projeto, sabe a importância que ele tem para a sétima economia do mundo como ministro da Fazenda", afirmou.

Segundo Mercadante, a permanência de Levy no cargo não foi tratada na reunião. "Tratamos de coisas objetivas e construtivas”, garantiu.   Continuação...

 
Ministro da Fazenda, Joaquim Levy. 31/08/2015. REUTERS/Ueslei Marcelino