CSN alonga dívida de R$2,57 bi com Caixa e acerto com BB está próximo, dizem fontes

quinta-feira, 3 de setembro de 2015 20:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A siderúrgica CSN anunciou nesta quinta-feira que concluiu acordo com a Caixa Econômica Federal para alongamento de parte de sua dívida com o banco, no valor de 2,57 bilhões de reais, e está perto de acordo semelhante com o Banco do Brasil, informaram fontes com conhecimento direto do assunto.

O vencimento da dívida com a Caixa passou de entre 2016 e 2017 para entre 2018 e 2022, em "parcelas igualmente distribuídas", informou a companhia em comunicado ao mercado.

A conclusão da negociação com o BB de montante próximo ao acertado com a Caixa deve ser divulgada já na próxima semana, segundo afirmaram as fontes.

Procurada, a CSN não comentou sobre eventual negociação sobre dívida com o Banco do Brasil.

O alongamento das dívidas deve aliviar a pressão sobre a companhia, que tem vencimentos de 7,4 bilhões de reais entre 2016 e 2017 e fechou o segundo trimestre com forte alta na alavancagem, em um momento de queda nos preços do minério de ferro e fraqueza na demanda por aço no Brasil.

O acordo com a Caixa ocorreu depois que a CSN informou em meados do mês passado que estava perto de concluir negociações para alongar os vencimentos, de modo a ter mais tranquilidade para vender ativos em um processo que visa melhorar de sua situação financeira.

A CSN encerrou o segundo trimestre com um índice de alavancagem de 5,61 vezes a dívida líquida sobre lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), ante relação de 4,76 vezes no primeiro trimestre e 2,71 vezes em junho de 2014.

A dívida líquida da empresa subiu 24 por cento em um ano, em parte por causa da desvalorização do real, para 20,769 bilhões de reais no final de junho, enquanto o caixa somava 7,8 bilhões de reais caixa.