BC do Japão não precisa afrouxar política se expectativas de inflação estiverem ancoradas

sexta-feira, 4 de setembro de 2015 09:19 BRT
 

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão não precisa expandir a política monetária em outubro mesmo que reduza suas previsões de crescimento e preços, desde que as expectativas de inflação estejam bem ancoradas, disse a chefe da missão ao Japão do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kalpana Kochhar, nesta sexta-feira.

Kochhar disse que há uma boa chance de o FMI cortar as previsões de crescimento econômico do Japão para 2015 e 2016 em seu próximo relatório Cenário Econômico Mundial com a desaceleração da China e a fraca demanda asiática pesando sobre as exportações.

"Até agora a recuperação no Japão este ano tem sido bastante decepcionado e instável", disse ela, acrescentando que os ganhos salariais têm sido particularmente fracos apesar do aperto do mercado de trabalho.

A economia do Japão contraiu no trimestre de abril a junho devido ao consumo e exportações fracos, e analistas esperam apenas uma moderada recuperação neste trimestre, mantendo o banco central do Japão sob pressão para aliviar ainda mais a política monetária.

Kochhar disse ainda que o banco central não precisa responder à fraqueza temporária da economia e, ao invés disso, deve focar nas previsões de inflação --que subiram moderadamente --ao decidir se deve implantar estímulos adicionais.

(Por Leika Kihara)