Protestos forçam estatal argentina YPF a fechar poços de petróleo pelo 2º dia

sexta-feira, 4 de setembro de 2015 14:56 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - A empresa estatal de energia Argentina disse que a produção de petróleo e gás natural foi paralisada em parte da região de Neuquen pelo segundo dia na sexta-feira, por causa de protestos sobre os direitos de propriedade da terra de um grupo indígena.

A YPF disse que 400 poços de petróleo e 300 poços de gás foram fechados nos campos de Loma La Lata, Loma Campana e Rincon del Mangrullo, resultando em uma perda de produção de 16 milhões de metros cúbicos de gás e 32 mil barris de petróleo até o momento.

Os manifestantes da comunidade indígena de Paynemil fizeram barricadas nas estradas, impedindo o acesso ao campo de xisto de Vaca Muerta, como parte de uma demonstração de reivindicações territoriais.

"Se eles suspenderem os bloqueios nas estradas, levará mais 24 a 48 horas para retomar os locais afetados e fazê-los funcionar", disse a YPF em declaração.

YPF disse que começou uma ação legal contra a comunidade de Paynemil.

Os Paynemil reivindicam direitos ancestrais sobre a terra da província de Neuquen e suas reivindicações podem se tornar um obstáculo em futuras joint ventures entre a YPF e empresas estrangeiras.

(Por Eliana Raszewski)