China enfatiza estabilidade no G20, gastos fiscais aceleram

domingo, 6 de setembro de 2015 10:16 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Os mercados financeiros chineses devem permanecer estáveis e o iene não está num curso de desvalorização de longo prazo, enquanto que o gasto fiscal vai crescer mais rápido do que o esperado neste ano, disseram as principais autoridades financeiras da China ao G20.

O ministro das Finanças, Lou Jiwei, afirmou que o gasto do governo central vai aumentar 10 por cento neste ano, mais do que os 7 por cento de crescimento previstos no início do ano, segundo um comunicado no fim deste sábado no site do Banco do Povo da China. O país vai elevar os pagamentos de dividendos de empresas estatais selecionadas para compensar perdas.

Em 2015, a China caminha para a sua expansão econômica mais lenta em 25 anos, e os mercados do país caíram 40 por cento desde meados de junho.

As ações chinesas derrubaram os mercados em Hong Kong para o seu fechamento mais baixo em dois anos na quarta-feira. Os mercados na China ficaram fechados na quinta e na sexta-feira por conta da celebração dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.

O crescimento da China vai permanecer ao redor de 7 por cento, como previsto no início do ano, e essa nova situação econômica pode durar quatro ou cinco anos, disse Lou. O governo não vai se preocupar de forma particular com flutuações econômicas trimestrais e vai manter estável a política macroeconômica, acrescentou.

A China não pode mais contar com suportes de política para alcançar crescimento de 9 a 10 por cento, já que pode levar vários anos para digerir o excesso de capacidade industrial e os estoques, disse ele.

(Reportagem de Jake Spring)