Premiê da China diz que economia é estável, não há base para mais desvalorização do iuan

quarta-feira, 9 de setembro de 2015 09:16 BRT
 

DALIAN, China (Reuters) - As perspectivas para a economia da China são positivas e não há base para uma contínua desvalorização do iuan, disse o primeiro-ministro do país, Li Keqiang, nesta quarta-feira, reiterando as promessas do governo de avançar com reformas e sustentar a economia.

A China não quer ver uma guerra cambial e o iuan manterá sua estabilidade, disse Li em encontro com executivos empresariais no Fórum Econômico Mundial na cidade de Dalian.

"Se uma guerra cambial realmente acontecer, ela apenas irá prejudicar a China", acrescentou Li. "A contínua desvalorização do iuan definitivamente não leva a que a moeda se torne internacionalizada. Essa não é nossa preferência de política".

A China no mês passado desvalorizou o iuan em quase 2 por cento em uma medida que deixou os mercados atordoados, levantando preocupações de que poderia provocar uma fuga de capital ao mesmo tempo em que a economia do país desacelera.

A China não queria a desvalorização do iuan para estimular as exportações, reiterou Li, acrescentando que não existem motivos para mais fraqueza da moeda.

Questionado sobre a recente volatilidade no mercado financeiro, Li disse que a China precisa continuar com reformas em muitas áreas para assegurar sua estabilidade financeira.

"Agora podemos dizer que as medidas do governo excluíram a possibilidade de quaisquer riscos financeiros sistêmicos. A medida não teve de modo algum objetivo de enfraquecer o papel do mercado", acrescentou.

Uma queda de 40 por cento no mercado acionário chinês desde meados de junho reverberou no mundo todo, alimentando preocupações entre alguns investidores de que um pouso forçado aguarda a economia chinesa no futuro.

Li disse que as recentes políticas do governo ganharam tração e que a China manterá a direção básica de política, mas que irá se preparar para fazer ajustes preventivos.

"Não seremos desviados da nossa direção por flutuações econômicas de curto prazo", disse Li, prometendo avançar com reformas estruturais e ao mesmo tempo intensificar as medidas regulatórias direcionadas.

(Por Gerry Shih)

 
Primeiro-ministro da China, Li Keqiang, durante evento em Dalian.  09/09/2015. REUTERS/Jason Lee