Premiê chinês busca aliviar temores de mercados globais sobre China

quarta-feira, 9 de setembro de 2015 10:26 BRT
 

Por Gerry Shih e Pete Sweeney

XANGAI/DALIAN, China (Reuters) - A China afastou os principais riscos ao seu sistema financeiro e suas perspectivas econômicas continuam positivas, afirmou nesta quarta-feira o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, tentando reassegurar os mercados globais de que Pequim pode manter sua economia nos trilhos e os mercados acionários sob controle.

"O governo adotou medidas para estabilizar os mercados e evitar que os riscos se espalhem, excluímos a possibilidade de quaisquer riscos sistêmicos", disse Li durante discurso no Fórum Econômico Mundial.

Uma série de dados econômicos fracos combinados com a surpreendente desvalorização do iuan pela China e fortes variações nos preços de ações chinesas impactaram mercados pelo mundo todo durante o mês passado.

Li admitiu que a economia chinesa enfrenta pressões, mas tentou aliviar preocupações de que após anos de crescimento econômico a ritmos muito acelerados a economia está caminhando para um pouso forçado.

"Há uma estabilidade geral no desempenho econômico da China apesar de certa medida de moderação. Existe uma tendência no geral positiva apesar das dificuldades que enfrentamos", disse ele, acrescentando que Pequim fará "ajustes finos" em suas políticas para fornecer mais suporte.

Nesta quarta-feira, o Ministério das Finanças da China afirmou que irá acelerar grandes projetos de construção de infraestrutura e reformas em seu sistema tributário para ajudar a estimular a economia. [nL1N11F0EB]

O governo chinês prevê que a economia crescerá cerca de 7 por cento em 2015, uma desaceleração relativamente pequena do ritmo ante a taxa que registrou nos últimos anos.

No entanto, a medida inesperada para enfraquecer o iuan em agosto levou a temores de que Pequim poderia estar pensando que a economia está desacelerando mais do que haviam indicado, fazendo com que muitos investidores apostassem que a moeda passaria por uma série de desvalorizações.   Continuação...

 
Premiê chinês, Li Keqiang, no Fórum Econômico Mundial em Dalian. 09/09/2015 REUTERS/Jason Lee