Agricultores dos EUA devem retardar vendas de soja e milho após colheita

quinta-feira, 10 de setembro de 2015 16:49 BRT
 

CHICAGO (Reuters) - Mercados à vista de milho e soja provavelmente estarão lentos nos Estados Unidos neste outono do Hemisfério Norte, com a fraqueza nos mercados futuros e a queda nos prêmios deixando os preços bem abaixo das metas dos produtores e ameaçando margens de lucro.

Contudo, a retração não acabou com as esperanças dos produtores de um rali no outono, mesmo com perspectivas de crescimento robusto da produção com a aproximação da colheita.

A colheita de milho está começando nos EUA, enquanto a de soja deverá ser iniciada em poucas semanas.

Com as chuvas fortes oferecendo condições para um bom desenvolvimento das lavouras, os contratos futuros da soja para novembro em Chicago, que servem de referência para a safra que será colhida nas próximas semanas, caíram 17 por cento ante o pico do verão. As cotações deste contrato chegaram ao nível mais baixo para um mês de setembro desde 2006.

Os contratos futuros do milho para dezembro tiveram queda de 19 por cento ante o ápice do verão.

Nos valores atuais, muitos produtores provavelmente sofrerão uma perda se venderem milho ou soja, com os custos de produção ultrapassando o que está sendo oferecido no mercado à vista.

Tal acerto de contas transformou o armazenamento em uma opção atraente, mesmo com a maior parte dos analistas enxergando uma previsão pessimista para os preços por causa da oferta abundante e da fraca demanda de exportação.

"Eu acredito que a maior parte do pessoal irá provavelmente tentar estocar nas fazendas", disse o agricultor Ryan Wagner, de Roslyn, na Dakota do Sul. "Se eles não conseguirem achar espaço nos silos das fazendas, provavelmente irão deixar que os armazéns dos compradores guardem os grãos, pagando uma taxa de estocagem, pensando que uma alta dos preços possa compensar o que eles pagaram de taxas."

(Por Mark Weinraub)