El Niño intenso pode secar hidrelétricas do Nordeste e exigir mais térmicas

sexta-feira, 11 de setembro de 2015 19:31 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa de um El Niño intenso nos próximos meses acende um sinal de alerta para as hidrelétricas do Nordeste do Brasil, com especialistas indicando que a situação dos reservatórios na região pode ficar crítica devido a uma tendência de menos chuvas entre outubro e abril.

A situação poderia exigir que termelétricas com energia mais cara, recentemente desligadas, sejam novamente colocadas em operação.

No limite, pode até haver dificuldades para o atendimento à demanda no horário de pico, afirmaram especialistas ouvidos pela Reuters.

O atual fenômeno climático El Niño deverá ganhar força antes do fim deste ano, atingindo um pico entre outubro e janeiro, disse a Organização Meteorológica Mundial (OMM) na semana passada, apontando que poderá ser uma das ocorrências mais fortes desde 1950.

"Para o Nordeste, eu diria que o senso comum é de que os anos de El Niño são mais propensos a secas do que anos sem o fenômeno", afirmou o meteorologista sênior do serviço Point Carbon, da Thomson Reuters, Georg Müller.

Um El Niño de forte intensidade poderia reduzir as precipitações no período chuvoso do Nordeste necessárias para reabastecer hidrelétricas que atualmente contam com apenas 17 por cento de seus reservatórios.

"Os reservatórios já estão baixíssimos. Se a água não vier, estaremos muito mal", disse a diretora da Engenho Consultoria, Leontina Pinto.

Ela chamou a atenção para a hidrelétrica de Sobradinho, que responde por quase 60 por cento da capacidade de armazenamento do Nordeste e hoje está com apenas 11 por cento do volume.   Continuação...