China confisca até US$157 bi não gastos de orçamentos de governos locais, dizem fontes

segunda-feira, 14 de setembro de 2015 09:40 BRT
 

Por Benjamin Kang Lim

PEQUIM (Reuters) - Autoridades chinesas irritadas confiscaram até 1 trilhão de iuanes (157 bilhões de dólares) dos governos locais que não gastaram suas dotações orçamentárias, disseram fontes, no momento em que Pequim busca formas de estimular o crescimento econômico, que está em seu ritmo mais lento em 25 anos.

A grande subutilização do orçamento, ligada à relutância de autoridades em gastar em projetos de grande porte enquanto autoridades combatem a corrupção, dá força ao argumento de alguns economistas de que o investimento estatal chinês tem crescido muito lentamente neste ano.

"No passado, governos locais pediram o dinheiro. O dinheiro foi dado, mas ninguém agiu", disse uma de duas fontes, sendo que ambas são próximas do governo.

Elas pediram anonimato já que não estão autorizadas a falar à imprensa.

O dinheiro recuperado irá pagar por outros investimento, disseram as fontes, já que o crescimento econômico parece que, muito provavelmente, ficará abaixo dos 7 por cento.

Elas se recusaram a terem os nomes divulgados enquanto não estavam autorizadas a falar com a mídia.

"Os investimentos não foram realizados, e o dinheiro será realocado", acrescentou a fonte, um economista. Ele não especificou como os fundos seriam gastos.

O dinheiro retomado pagará outros investimentos, disseram as fontes, uma vez que o crescimento econômico parece cada vez mais que ficará abaixo de 7 por cento.

O crescimento sem brilho dos gastos pode ser especialmente ruim para a China, já que os investimentos são vistos por alguns economistas do governo como a melhor maneira de sustentar a atividade no curto prazo.

O Ministério das Finanças não estava imediatamente disponível para comentar quando procurado pela Reuters.