14 de Setembro de 2015 / às 21:04 / 2 anos atrás

Ibovespa sobe quase 2% com anúncio de medidas fiscais pelo governo federal

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou o pregão desta segunda-feira com ganho de quase 2 por cento, com o anúncio de medidas de austeridade fiscal pelo governo federal trazendo algum ânimo a investidores e suplantando a influência de cautela nos mercados internacionais antes da decisão de juros do banco central norte-americano nesta semana.

O Ibovespa fechou em alta de 1,9 por cento, a 47.281 pontos, pouco abaixo da máxima do dia, quando chegou a subir 2,1 por cento. O giro financeiro do pregão foi de 5,2 bilhões de reais.

O governo federal anunciou medidas fiscais de 64,9 bilhões de reais para garantir a meta de superávit primário de 0,7 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), englobando iniciativas do lado dos gastos e das receitas.

As medidas, que mostram um esforço para o país tentar evitar um novo rebaixamento de rating, favoreceram ativos de risco como a bolsa brasileira, após a Standard & Poor’s ter retirado o grau de investimento do Brasil na semana passada, disse o analista Luis Gustavo Pereira, da Guide Investimentos.

Isso se sobrepõe à cautela registrada no início da sessão, quando a Bovespa mostrou pouca oscilação, em linha com os mercados externos. Agentes financeiros estão alertas à reunião do Federal Reserve na quarta e na quinta-feiras, diante da possibilidade de um primeiro aumento de juros do país em uma década.

DESTAQUES

=VALE teve desvalorização de quase 2 por cento nas preferenciais e de 1,5 por cento nas ordinárias, em pregão de baixa do preço do minério de ferro e após dados fracos sobre a economia chinesa no fim de semana. No noticiário do dia, a Petrobras informou que Murilo Ferreira, presidente de seu Conselho de Administração e também presidente-executivo da Vale, pediu licença do cargo na estatal até o fim de novembro. Segundo uma fonte da estatal, a decisão de Ferreira foi tomada para se concentrar na gestão da Vale, em meio às dificuldades com a desaceleração da China. BRADESPAR, que tem participação na mineradora, perdeu 3,64 por cento.

=GERDAU, USIMINAS e CSN perderam, respectivamente, 5,69 por cento, 7,96 por cento e 4 por cento, em movimento de ajuste após os ganhos fortes da semana passada, quando a alta do dólar favoreceu ações de siderúrgicas na bolsa. O dólar teve a maior queda diária sobre o real em um mês neste pregão.

=ITAÚ UNIBANCO, BRADESCO e banco do brasil avançaram, respectivamente, 4, 4,46 e 5,63 por cento, contribuindo para a alta do Ibovespa devido aos seus grandes pesos na composição do índice após o anúncio das medidas do governo.

= OI teve o maior ganho do Ibovespa do dia, de 9 por cento. O economista Hersz Ferman, da Elite Corretora, disse que o papel foi, possivelmente, alvo de “short squeeze”, movimentos de cobertura de posições por agentes que haviam alugado o papéis para vendê-los.

=SMILES avançou 2,48 por cento, depois de a operadora de turismo CVC informar que não tem intenção de promover qualquer “tipo de operação societária” com a empresa de redes de fidelidade de clientes. Na semana passada, o jornal O Estado de S.Paulo havia noticiado que a CVC, controlada pelo fundo Carlyle, estava em conversas com investidores para a venda de seu controle, tendo entrado em negociações com a Smiles. A notícia fez a ação da Smiles desabar 9,57 por cento na última quinta-feira.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below