China mira negociação automatizada em mercados futuros de commodities

terça-feira, 15 de setembro de 2015 13:13 BRT
 

XANGAI/HONGKONG (Reuters) - A China está ampliando seu controle dos mercados locais para as bolsas de commodities, assustada com sinais de que especuladores podem ter mudado do volátil mercado de ações chinês para contratos futuros de commodities.

As principais bolsas de commodities do país --Dalian Commodity Exchange (DCE), Shanghai Futures Exchange (SHFE) e Zhengzhou Commodity Exchange (ZCE)-- foram recentemente chamadas pelo regulador chinês a rascunhar regras para "regular o comportamento das negociações programadas" nos mercados futuros, segundo fontes a par do assunto.

O movimento vem em seguida a uma série de novas regulamentações que têm como objetivo conter o que as autoridades chinesas chamam de negociações "maliciosas" em contratos futuros de ações, vistas como responsáveis, em parte, por alimentar o tumulto que resultou em uma queda de mais de 40 por cento nas ações desde junho.

A baixa levou fundos de hedge e outros investidores a se voltarem para commodities, que ainda não haviam sido impactadas por uma reformulação da regulação empreendida por Pequim no mercado de ações.

MIRANDO OS ROBÔS

O esboço das mudanças regulatórias consideradas pela bolsa de Dalian, que circulou em um grupo seleto de pessoas para a coleta contribuições, foca em estreitar os controles sobre negociações programadas ou realizadas automaticamente.

Operadores locais e corretoras ativas nos mercados de commodities chineses dizem que as novas regras devem "forçar a saída" de algumas empresas especializadas em negociações de arbitragem, focadas em explorar diferenças de preço de curto prazo para a mesma commodity em diferentes meses, ou diferentes commodities dentro do mesmo mês de contrato.

(Por Ruby Lian e Polly Yam)