Plano decenal de energia mantém previsão de aumento na produção de petróleo do país

quarta-feira, 16 de setembro de 2015 12:21 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Plano Decenal de Expansão de Energia 2024 do Brasil prevê que a produção de petróleo do país poderá dobrar em relação ao nível atual, para 5 milhões de barris/dia, número estável em relação ao plano anterior, informou nesta quarta-feira a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que elaborou o documento.

A produção de petróleo do país em julho somou 2,47 milhões de barris/dia, segundo o dado mais atual da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O plano, colocado em consulta pública pelo Ministério de Minas e Energia até o dia 7 de outubro, manteve a expectativa de produção de petróleo do país no horizonte de dez anos, na comparação com o plano divulgado no ano passado, apesar de recentes cortes de investimentos da Petrobras.

A estatal, a maior produtora de petróleo do país, responsável atualmente por mais de 2 milhões de barris/dia, anunciou neste ano um corte de investimentos de cerca de 40 por cento ante o plano anterior, para 130 bilhões de dólares em 2015 e 2019.

No plano, a estatal previu 2,8 milhões de barris/dia até 2020, bem abaixo dos 4,2 milhões de barris estimados no programa de investimentos anterior.

O plano decenal prevê investimentos em expansões de 1,4 trilhão de reais em 10 anos no Brasil, com petróleo e gás respondendo por cerca de 70 por cento do total, cabendo ao setor elétrico fatia de aproximadamente 27 por cento, enquanto a soma dos investimentos totais em biocombustíveis líquidos deverá representar 2,6 por cento, segundo a EPE.

Do total previsto na produção de petróleo, dois terços devem vir do pré-sal, segundo a EPE.

Com a demanda por petróleo projetada em 2024 em aproximadamente 3 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), a estatal EPE estimou um excedente de 2 milhões de bpd, que deverá ser direcionado à exportação.

A EPE não entrou em detalhes sobre o impacto do corte de investimentos projetado pela Petrobras para os números de produção de petróleo.   Continuação...