Bovespa fecha estável após dia volátil com Fed e pressão de cena política local

quinta-feira, 17 de setembro de 2015 17:53 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice estável nesta quinta-feira, após sessão volátil, marcada pela decisão do banco central norte-americano de não alterar os juros, enquanto o cenário político doméstico seguiu adicionando incertezas para a retomada da economia no Brasil.

O Ibovespa fechou estável, a 48.551 pontos. O giro financeiro totalizou 7,4 bilhões de reais.

O Federal Reserve deixou inalteradas as taxas de juros nesta quinta-feira, em um sinal de preocupação com a fraqueza econômica global, mas deixou aberta a possibilidade de um modesto aperto da política monetária ainda este ano.

Em recuo tático, o Fed disse que uma série de riscos globais e outros fatores o convenceu a adiar o que seria o primeiro aumento de juros em quase uma década.

O BNP Paribas avaliou que o Fed emitiu um forte sinal "dovish", ao não elevar os juros, reduzir a sua expectativa de longo prazo para a economia, mudar para baixo a trajetória projetada para os juros e fazer poucas mudanças no comunicado que acompanhou a decisão.

O Ibovespa atingiu a máxima da sessão após a decisão, com alta de 1,74 por cento, mas não sustentou os ganhos, mostrando forte volatilidade. A mínima do dia foi registrada pela manhã, quando o índice caiu quase 1 por cento.

As operações domésticas ainda permanecem pressionadas pelo ceticismo quanto a um desfecho para a crise política, enquanto crescem as dificuldades relacionadas ao ajuste fiscal, considerado necessário para a retomada da confiança no país.

Nesta quinta-feira, adicionou ruído reportagem do jornal Valor Econômico afirmando que o Instituto Lula e o PT trabalham para uma guinada na política econômica, que exigiria as saídas do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.   Continuação...