Produção de aço do Brasil cai em agosto, apesar de alta em exportações

quinta-feira, 17 de setembro de 2015 18:23 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de aço bruto recuou em agosto, ficando pouco abaixo da média do ano, apesar de salto de quase 70 por cento no volume exportado, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Aço Brasil (IABr), que representa as siderúrgicas do país.

No período, as usinas produziram 2,799 milhões de toneladas de aço bruto, 5,6 por cento abaixo do mesmo mês do ano passado e queda de 2,7 por cento na comparação com julho. A média de produção mensal este ano é de 2,844 milhões de toneladas.

Em meados de julho, o IABr havia estimado queda de 3,4 por cento na produção brasileira de aço bruto em 2015, a 32,75 milhões de toneladas. Até agosto, a produção exibe estabilidade sobre um ano antes, a 22,75 milhões de toneladas.

O resultado foi pressionado por uma queda de 8,2 por cento das vendas no mercado interno em agosto sobre um ano antes, para 1,579 milhão de toneladas. Na comparação com julho, quando as vendas tiveram queda anual de 22 por cento, houve crescimento de 9,5 por cento em agosto.

Produtos laminados planos tiveram queda anual de 7 por cento nas vendas, enquanto os laminados longos recuaram 9,4 por cento, acompanhando o momento de baixa atividade da construção civil.

No acumulado do ano, as vendas de aço no Brasil registram queda de 13,5 por cento sobre um ano antes, a 12,75 milhões de toneladas. A expectativa para as vendas de aço no mercado interno é de queda de 15,6 por cento, para 18,3 milhões de toneladas.

O setor teve alta de quase 67 por cento nas exportações de agosto sobre um ano antes, a 1,29 milhão de toneladas, impulsionado por alta de 49 por cento nas vendas externas de semi-acabados, que atingiram 790 mil toneladas no mês passado. Em valores, porém, houve queda de 6,6 por cento nas exportações em agosto na comparação anual, para 548 milhões de dólares.

Já as importações caíram pelo terceiro mês consecutivo, somando 204 mil toneladas em agosto, queda de 45 por cento sobre um ano antes. O volume foi o menor até agora neste ano.

(Por Alberto Alerigi Jr.)