Bovespa recua 2,65% pressionada por exterior e rumores sobre rating, mas tem ganho na semana

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 18:30 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO, (Reuters) - O principal índice da Bovespa encerrou a sexta-feira em forte queda, pulverizando boa parte dos ganhos da semana, com rumores de eventual novo corte da classificação de crédito do Brasil acentuando a pressão negativa já infligida pelo cenário externo.

O Ibovespa caiu 2,65 por cento, a 47.264 pontos. Na mínima, chegou a recuar mais de 3 por cento. O giro financeiro totalizou 8,2 bilhões de reais.

Na semana, o índice de referência contabilizou um ganho de 1,86 por cento. Até a véspera, o ganho superava 4,5 por cento.

De acordo com cinco profissionais da área de renda variável ouvidos pela Reuters, boatos sobre eventual novo rebaixamento da nota de crédito do Brasil por uma grande agência de risco se espalharam no mercado.

"Está como rastilho de pólvora nas mesas", disse um desses profissionais.

Após a Standard & Poor's cortar a nota do Brasil para o nível especulativo no início deste mês, agentes financeiros passaram a especular sobre qual seria a atitude das duas demais grandes agências: Moody's e Fitch Ratings.

A Fitch afirmou no início de setembro ver elementos apoiando o selo de bom pagador para o Brasil, mas que havia chance superior a 50 por cento de rebaixar o país. Um corte em um degrau ainda manteria o grau de investimento pela agência. Nesta sexta-feira, a Fitch disse que a queda dos preços das commodities e a desaceleração econômica da China são testes para os países da América Latina.

Já a Moody's rebaixou o Brasil no início de agosto, também mantendo o país no nível grau de investimento e com perspectiva estável, assim como elogiou as últimas medidas fiscais anunciadas pelo governo.   Continuação...