Grandes marcas dos EUA apoiam campanha da ONU para alimentar refugiados

domingo, 20 de setembro de 2015 10:53 BRT
 

Por Lisa Baertlein

LOS ANGELES (Reuters) - O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), com falta de recursos para ajudar a alimentar o maior fluxo de refugiados da história, estreia neste domingo uma nova campanha de arrecadação de fundos e conscientização com o apoio de marcas como McDonald's e Google.

O número de homens, mulheres e crianças deslocados à força por guerras, conflitos e perseguições aumentou para novo recorde de 59,5 milhões no final de 2014.

Apesar disso e do conflito sírio em curso, considerado uma das piores crises de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, o PMA sofre com a diminuição de doações, o que forçou cortes em ajuda e a reavaliação dos esforços de captação de recursos das empresas.

Em vez de dinheiro, o PMA procura doações como tempo para publicidade em televisão e mídias sociais, com o objetivo de atingir novos públicos, disse Jay Aldous, diretor de parcerias com o setor privado do PMA.

"Isso nos dá um megafone", disse Aldous. "Achamos que a soma total de utilizar as vozes de todas essas empresas é maior que a soma total de uma doação financeira singular."

O McDonald's liderou a primeira experiência em campanhas do tipo para o PMA, produzindo um comercial de 30 segundos para a agência da ONU e ajudando a recrutar outras empresas.

A DreamWorks Animation garantiu o ator Liam Neeson para a voz do comercial, que está programado para sair no Dia Internacional da Paz, em 21 de setembro.

Outras marcas participantes incluem MasterCard, Burger King, Cargill, Facebook, Google, Twitter, United Airlines, McCain Foods e OMD Worldwide.