Safra de cana da Índia definha e amplia riscos para mercado global de açúcar

terça-feira, 22 de setembro de 2015 14:49 BRT
 

NAZARE, Índia (Reuters) - Milhares de acres da safra de cana da Índia estão sofrendo severos danos com a ausência de chuvas de monções, com alguns produtores no segundo maior produtor de cana do mundo vendo-se forçados a alimentar o gado com a cana ressecada no maior estado produtor.

Após uma sequência de colheitas recorde que criaram um excesso de açúcar na Índia, a seca pode cortar a oferta no ano de mercado que se iniciará em outubro, e há um risco de que a produção caia abaixo do consumo pela primeira vez em sete anos na próxima temporada de 2016/17.

E mesmo que a Índia ainda esteja buscando impulsionar exportações na próxima temporada para diminuir estoques, este cenário pode se transformar rapidamente com uma escassez na produção impulsionando os preços globais, que estão pairando ao redor de mínimas de sete anos.

Executivos da indústria dizem que milhares de hectares de cana foram danificados após a Índia enfrentar secas consecutivas pela primeira vez em três décadas, com produtores também se abstendo de plantar cana para a próxima temporada por causa da escassez de água.

Em Maharashtra, o maior estado produtor, uma recente visita da Reuters mostrou um impacto da seca.

"As usinas de açúcar não comprarão esta cana pequena com pequenos brotos", disse o produtor Vijay Nazirkar, conforme cortava a cana para suas 22 cabeças de gado, uma de suas poucas fontes de renda, uma vez que outras colheitas como milho e cebola também foram atingidas por uma seca prolongada relacionada ao fenômeno climático El Niño.

Até o momento, ele alimentou o gado com quase metade de sua cana no vilarejo de Nazare, cerca de 200 km ao sudeste de Mumbai.

(Por Rajendra Jadhav)