Dólar sobe 2,28% e encosta em R$4,15, apesar de ofensiva do BC

quarta-feira, 23 de setembro de 2015 17:51 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar registrou o maior avanço em três semanas nesta quarta-feira e encostou em 4,15 reais, apesar da pesada ofensiva do Banco Central, que realizou ao todo quatro intervenções no mercado de câmbio, mas não conseguiu afastar a moeda norte-americana das máximas da sessão.

O dólar encerrou em alta de 2,28 por cento, a 4,1461 reais na venda, novo patamar recorde de fechamento e na maior alta diária desde 4 de setembro (2,68 por cento). Na máxima do dia, o dólar chegou a ser cotado a 4,1517 reais.

Esta foi a quinta sessão consecutiva de alta, com a moeda norte-americana acumulando avanço de 8,14 por cento no período. No acumulado do ano, a divisa dos EUA subiu 55,94 por cento.

"Uma atuação como essa deveria segurar um pouco, mas a volatilidade está muito grande", resumiu o gerente de câmbio da corretora BGC Liquidez, Francisco Carvalho. "O mercado está perdido e corre para o dólar".

Nesta sessão, o BC realizou dois leilões de venda de dólares com compromisso de recompra, com oferta de até 4 bilhões de dólares no total; um leilão de até 20 mil novos swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares; e um leilão de rolagem dos swaps que vencem em outubro, como vem fazendo diariamente.

A autoridade monetária anunciou ainda outro leilão de novos swaps para quinta-feira, também com oferta de até 20 mil contratos.

Operadores avaliaram o movimento como uma queda de braço entre o mercado e o BC, reforçado pelo fato de que a autoridade monetária vendeu apenas 4,4 mil contratos no leilão de novos swap.

"O mercado puxa, o BC vem com leilão. Como ele não vendeu tudo, o mercado testou novamente", explicou o operador de uma corretora nacional, sob condição de anonimato. "Se agora ele não vier com vontade, é um convite para o mercado continuar puxando".   Continuação...

 
10/09/2015. REUTERS/Ricardo Moraes