Fed caminha para elevar juros ainda este ano, diz Yellen

quinta-feira, 24 de setembro de 2015 20:20 BRT
 

Por Jonathan Spicer e Svea Herbst-Bayliss

AMHERST, EUA (Reuters) - A chair do Federal Reserve, Janet Yellen, disse nesta quinta-feira esperar que o banco central dos Estados Unidos comece a elevar os juros ainda neste ano, contanto que a inflação permaneça estável e a economia norte-americana esteja forte o suficiente para impulsionar o emprego.

Yellen, falando uma semana após o Fed postergar o tão aguardado aumento de juros, disse que ela e outros integrantes do Fed não esperam que os recentes desdobramentos econômicos e financeiros globais afetem significativamente a política monetária.

Essa mensagem, aliada à afirmação de Yellen de que a recente fraqueza inflacionária é possivelmente transitória, pode ser uma surpresa para alguns investidores que interpretaram a decisão da semana passada como um sinal de que o aperto da política monetária deixou de ser iminente e provavelmente aconteceria no ano que vem.

Grande parte da recente fraqueza dos preços se deve a fatores especiais, como o fortalecimento do dólar e a baixa nos preços do petróleo, que devem desaparecer, disse Yellen, permitindo que a inflação dos EUA volte à meta de 2 por cento ao longo dos próximos anos.

Yellen e o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) esperam que a maior economia do mundo seja forte o suficiente para alcançar o nível máximo de emprego e para manter as expectativas para os preços estáveis, disse ela.

"A maioria dos participantes do Fomc, incluindo eu mesma, atualmente antecipa que quando essas condições forem alcançadas provavelmente implicarão na primeira alta da taxa de juros ainda este ano, sendo seguida por um aperto subsequente em ritmo gradual", disse Yellen a centenas de estudantes e residentes na Universidade de Massachusetts, em Amhrest.

Da forma como está, os prospectos para a economia dos EUA "parecem de modo geral sólidos".

A decisão do Fed de manter os juros inalterados era de certa forma esperada, dada a recente queda nos mercados financeiros globais que foi influenciada por receios de que a economia da China esteja mais fraca que o esperado.

Investidores, no entanto, reagiram ao tom cauteloso de Yellen na semana passada ao reclamar de sinais mistos e levando as expectativas de um aumento de juros para março do próximo ano, ante dezembro, de acordo com o mercado futuro de juros.

Yellen, no entanto, disse que é melhor não adiar por "muito tempo" o aumento de juro que deve ter em um ritmo "bastante gradual". "A estratégia mais prudente é começar o aperto monetário em um momento oportuno e em um ritmo gradual, ajustando a política monetária conforme necessário com base nos dados novos".