CSN alonga dívida de R$2,2 bi com Banco do Brasil

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 21:18 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional informou nesta sexta-feira que concluiu a operação de alongamento de prazo de parte de sua dívida com o Banco do Brasil, no montante de 2,208 bilhões de reais.

Dessa forma, a companhia desloca vencimentos nesse montante, previstos para 2016 e 2017, para o período entre 2020 e 2022, em parcelas igualmente distribuídas, segundo comunicado ao mercado.

No início de setembro, a siderúrgica anunciou ter concluído acordo com a Caixa Econômica Federal para alongamento de parte de sua dívida com o banco, no valor de 2,57 bilhões de reais.

O vencimento da dívida com a Caixa passou de entre 2016 e 2017 para entre 2018 e 2022, em "parcelas igualmente distribuídas", informou a companhia na ocasião.

O alongamento das dívidas deve aliviar a pressão sobre a companhia, que tem vencimentos de 7,4 bilhões de reais entre 2016 e 2017 e fechou o segundo trimestre com forte alta na alavancagem, em um momento de queda nos preços do minério de ferro e fraqueza na demanda por aço no Brasil.

(Por Luciana Bruno)