Raúl Castro critica na ONU o embargo norte-americano a Cuba

sábado, 26 de setembro de 2015 17:25 BRT
 

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O presidente de Cuba, Raúl Castro, falando na ONU pela primeira vez neste sábado, comemorou os laços diplomáticos renovados com os Estados Unidos como "um grande progresso", mas culpou o embargo comercial norte-americano como o principal obstáculo para o desenvolvimento da economia de Cuba.

Raúl Castro e o presidente norte-americano, Barack Obama, anunciaram em dezembro uma espécie de paz após mais de meio século de animosidade entre os ex-inimigos da Guerra Fria, que culminou na restauração das relações diplomáticas, em 20 de julho.

Apesar de Obama ter tomado medidas para amenizar as restrições comerciais e de viagens, apenas o Congresso dos EUA pode acabar com o embargo e isso não parece provável no momento.

O embargo é o "principal obstáculo para o desenvolvimento econômico do nosso país, ao mesmo tempo que afeta outras nações, por causa do seu escopo extraterritorial, e prejudica os interesses dos cidadãos e das empresas americanos", disse Castro na reunião de líderes mundiais para o desenvolvimento sustentável.

"Essa política é rejeitada por 188 membros das Nações Unidas que exigem sua retirada", disse, referindo-se a uma resolução anual da Assembleia Geral da ONU que tem condenado o embargo norte-americano por mais de duas décadas.

Cuba estima que o embargo causou um prejuízo de 121 bilhões de dólares à economia do país e lançou uma campanha para a Assembleia Geral novamente adotar a resolução e tentar que o embargo seja encerrado.

Diplomatas da ONU, sob condição de anonimato, disseram que Washington está considerando a abstenção na votação da resolução, desde que o texto amenize as críticas aos Estados Unidos em relação às versões de outros anos.

A resolução tornou-se um ritual anual.

Estados Unidos e Israel têm sempre votado contra a declaração. Embora a votação da Assembleia Geral seja simbólica, serve para destacar o isolamento dos EUA em relação a Havana.

Castro deve discursar pela primeira vez como presidente na reunião anual de líderes mundiais na Assembleia Geral da ONU, na segunda-feira. Raúl Castro, 84 anos, assumiu a Presidência de Cuba no lugar do irmão Fidel provisoriamente em 2006 e definitivamente em 2008.

(Reportagem de Michelle Nichols)