Rússia pode cortar produção de petróleo em 10% com preços baixos, diz vice-primeiro-ministro

terça-feira, 29 de setembro de 2015 10:51 BRT
 

MOSCOU (Reuters) - A produção da petróleo da Rússia pode cair em até 10 por cento se os preços globais mantiverem-se baixos por um longo período, disse nesta terça-feira à Reuters o vice-primeiro-ministro Arkady Dvorkovich durante o Reuters Russian Investment Summit.

Por outro lado, ele disse que é improvável que os preços caiam abaixo dos nível atuais, em torno de 48 dólares por barril, por um período sustentado já que não é do interesse de muitos produtores de petróleo enfrentar preços baixos por mais de dois anos.

"Nós calculamos o orçamento com base no preço de 50 dólares por barril", disse Dvorkovich no encontro, no escritório da Reuters em Moscou.

"Se os preços continuarem em um patamar baixo por um longo tempo, então uma redução de produção de 5 a 10 por cento é inteiramente possível, ou seja, se os preços ficarem em níveis baixos por muitos anos", disse ele.

O vice-primeiro-ministro acrescentou que o governo russo não irá tomar medidas artificiais para reduzir a produção, mas que a redução será uma consequência natural dos baixos valores nos planos de investimento das petroleiras.

Apesar de um forte recuo dos preços, a Rússia recusou-se a cortar produção. Ao contrário, o país manteve e até elevou a extração de petróleo, suportando os preços reduzidos na esperança de elevar a participação no mercado global tomando lugar outros produtores que eventualmente reduzam produção.

(Por Olesya Astakhova e Darya Korsunskaya)