Lwarcel Celulose quer ampliar produção em 4 vezes em 2019 com novos sócios

terça-feira, 29 de setembro de 2015 13:51 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A fabricante paulista de celulose Lwarcel vai seguir as rivais maiores Fibria e Eldorado Brasil com a ampliação de sua capacidade produtiva nos próximos anos, entrando com mais 750 mil toneladas do insumo no mercado a partir de 2019, após receber novos sócios e com a maior parte desse volume sendo dedicada à China.

A empresa tem planos de expandir a produção, atualmente de 250 mil toneladas, desde meados de 2010, e confirmou a intenção após desoneração do ICMS do investimento no setor pelo Estado de São Paulo, em junho. A medida descontou 150 milhões de reais do valor previsto de investimento para o projeto de ampliação pela empresa, que agora soma 3,5 bilhões de reais.

Agora, a produtora de celulose planeja receber um aporte de capital de possíveis sócios, que podem ser nacionais ou internacionais, para ajudar a financiar o desembolso no aumento da capacidade, disse o diretor-geral da empresa, Luis Künzel, à Reuters.

"Está em aberto quem seriam os sócios. O que temos uma definição clara é que o atual sócio quer manter o controle", disse o executivo. A Lwarcel Celulose pertence ao Grupo Lwart, com sede em Lençóis Paulista (SP) e controlado pela família Trecenti, que também engloba a Lwart Lubrificantes.

Apesar de ter confirmado o plano, o anúncio pela Fibria da expansão de sua fábrica em Três Lagoas (MS) e as rápidas mudanças nas condições de mercado, com a disparada do dólar ante o real, fizeram com que a Lwarcel Celulose pausasse temporariamente a negociação com os candidatos a sócios, antes de prosseguir com a construção da nova linha de produção.

"Já que vai ter outro projeto junto, vamos dar um tempinho. A gente entende que precisa de pelo menos um ano de defasagem e com isso a gente revê nossas ideias, nossos números antes de partir para o ataque novamente", disse Künzel.

A espera pela entrada da capacidade da Fibria no mercado ocorre para que não haja competição tão acirrada por clientes que absorvam a nova produção, por recursos e fornecedores para a construção da nova linha. A expansão da Fibria, maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo, no município de Três Lagoas (MS) está prevista para entrar em operação no quarto trimestre de 2017. Já a segunda linha da Eldorado na mesma cidade tem previsão para começar a operar no primeiro semestre de 2018.

A Klabin, por sua vez, deve concluir sua fábrica de celulose com capacidade de 1,5 milhão de toneladas por ano em 2016.   Continuação...