Bovespa experimenta trégua após sete quedas e sobe com ajuda de Cielo e Petrobras

terça-feira, 29 de setembro de 2015 17:53 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO, (Reuters) - A bolsa paulista fechou no azul nesta terça-feira, quebrando uma sequência de sete pregões de perdas, com as ações da Cielo e da Petrobras entre os principais suportes da alta.

O Ibovespa subiu 0,4 por cento, a 44.131 pontos, após atingir a mínima em quase seis anos e meio na segunda-feira. O giro financeiro voltou a ficar abaixo da média mensal, somando 5,1 bilhões de reais, contra giro médio diário de 7 bilhões de reais em setembro.

De acordo com o analista Ricardo Kim, da XP Investimentos, a Bovespa seguiu a melhora do exterior, em particular a recuperação dos preços do petróleo, com dados fiscais brasileiros um pouco melhores do que o previsto ajudando a dar uma trégua na percepção de risco.

"Mas é um alívio pontual, com o estrutural ainda ruim", disse Kim, destacando que eventos como a reforma ministerial e a análise de vetos presidenciais mantêm o clima de incertezas.

Em nota a clientes nesta terça-feira, o Credit Suisse disse ser difícil a Bovespa se recuperar com consistência num cenário onde o custo de capital supera a rentabilidade (ROE) da maioria das empresas.

DESTAQUES

=PETROBRAS fechou com as preferenciais em alta de 2,33 por cento e os papéis ordinários avançando 2,35 por cento, na esteira da recuperação dos preços do petróleo e com a trégua no fortalecimento do dólar ante o real endossando os ganhos das ações. A estatal ainda confirmou na véspera descoberta de petróleo leve nos reservatórios do pré-sal no terceiro poço da área de Carcará, na Bacia de Santos. A equipe da corretora Rico avaliou positivamente a notícia, mas ponderou que em momentos como o atual acaba se tornando não tão relevante. "Endividamento, dólar e preço do petróleo são as grandes preocupações no momento", disse em nota a clientes.   Continuação...