Alemã Conergy visa leilões e telhados para crescer em energia solar no Brasil

quarta-feira, 30 de setembro de 2015 18:34 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo alemão de energia solar Conergy quer estar entre os líderes em geração fotovoltaica no Brasil, onde pretende investir tanto em usinas de grande porte como em sistemas para serem instalados em prédios comerciais e industriais, afirmou um executivo à Reuters.

A empresa, que está em busca de expansão em mercados emergentes, ganhou os primeiros contratos no país em leilão de energia solar realizado em agosto deste ano e investirá entre 250 e 300 milhões de reais em duas usinas na Paraíba que somarão cerca de 60 megawatts em potência.

O diretor da Conergy para o Brasil, Eduardo Abreu, afirmou em entrevista que a companhia estuda inscrever projetos do mesmo porte, ou até maiores, em leilões que acontecerão em 2016, para continuar com a expansão no país.

"No Brasil temos um interesse muito forte, tanto na geração centralizada, com grandes usinas, como na geração distribuída, em telhados. Comparando o que já tem instalado (de energia solar no Brasil) com o tamanho potencial do mercado e os retornos que podem ser alcançados, achamos interessante", disse o executivo.

Segundo ele, as primeiras duas usinas foram projetos comprados de investidores locais, uma alternativa que pode ser buscada novamente enquanto a empresa desenvolve projetos próprios, na região Nordeste.

"Agora que já sabemos que podemos ser competitivos, estamos desenvolvendo aos poucos um 'pipeline'... mas não sabemos se até o ano que vem vamos participar (dos leilões) com projeto nosso ou comprado de desenvolvedores. Depende de como vai estar a maturação", afirmou.

Segundo Abreu, além do Brasil, Chile e México são exemplos de outros mercados em que a Conergy buscará uma expansão nos próximos anos.

Ele disse que os planos se mantêm mesmo com o atual momento de crise econômica no Brasil, que tem aumentado os custos de financiamento e de equipamentos importados, ao mesmo tempo em que desacelera a demanda por energia.   Continuação...